Sono e fadiga são a terceira maior causa de acidentes com veículos

24/12/2018

 

Falta do descanso ainda é responsável pela falta de concentração, atenção e raciocínio dos condutores.

 

 

Quem depende do veículo para trabalhar sabe bem que o corpo e a mente cansados são os principais vilões da atenção nas ruas. Para quem dirige à noite, esse problema se torna bem maior, chegando a ser responsável por 60% dos acidentes.

O corpo precisa do tempo de descanso para trazer benefícios como a redução do estresse, controle do apetite, melhora no humor e na memória. Um dos hormônios liberados durante o sono é a melatonina, responsável por regular o tempo de repouso e reparar as células expostas a estresse, poluição, entre outras.

A privação do sono é mais prejudicial do que se imagina. Sem falar nos problemas para o corpo como aumento do estresse e perda de memória, quem dirige um veículo com o nível de melatonina alto corre um grande risco de causar e sofrer acidentes.

A privação do sono é capaz de atingir os sistemas imunológico e hormonal de forma negativa. A falta do descanso ainda é responsável pela falta de concentração, atenção e raciocínio dos condutores.

No Brasil 60% dos acidentes rodoviários envolvendo motorista profissional, com carteiras de habilitação C, D e E, são causados por sono e fadiga. Esses fatores são a terceira maior causa de acidentes no país, perdendo apenas para a junção entre álcool e direção e o excesso de velocidade.

Não dê Carona ao Sono, quanto menos horas dormidas, mais chances de causar acidentes. Se o condutor dormir cinco horas e meia, a chance de ele causar algum acidente no trânsito é 10 vezes maior em relação a quem dormiu as oito horas recomendadas. 

Alternativas para driblar os efeitos do sono como tomar café, ligar o rádio e o ar condicionado são capazes de deixar o condutor alerta por apenas poucos instantes, mas não é possível evitar o cansaço indefinidamente. 

O problema com o sono e o volante afeta, principalmente, os condutores de veículos de transporte rodoviário coletivo de passageiros ou de cargas. O indicado é não dirigir por mais de cinco horas e meia ininterruptos com, no mínimo, 30 minutos de descanso. 

Para quem realiza transporte de passageiros, no mínimo 30 minutos de descanso a cada quatro horas no volante.

 

Caso em Santa Cruz

Na noite do último sábado, o médico Bruno Sanchez foi vítima do sono ao volante e causou um grave acidente na região do trevo chamado de “Trevo do Posto São Paulo”. 

 Após dormir ao volante de seu carro, um Jeep Renegade, Bruno colidiu violentamente contra postes de energia e de video-monitoramento que ficam no gramado central do canteiro da rotatória.

Em contato com a reportagem, Bruno admitiu que dormiu por alguns segundos e acabou perdendo o controle do veículo. O acidente, gerou um apagão por mais de 3 horas, na região central da cidade além de alguns bairros.

Bruno usava o cinto de segurança e foi salvo pelo air bag do veículo. O médico chegou a ser encaminhado para a UTI da Santa Casa de Santa Cruz, mas não teve lesões de gravidade maior.

 

Carro de Bruno Sanchez ficou destruído após acidente. Médico usava cinto de segurança no momento da colisão.
 
 
 
Conteúdo: Visão Notícias
 

 

Fique sempre por dentro das  Notícias em Santa Cruz atualizadas diariamente através do aplicativo ACHEI SANTA CRUZ , basta clicar na imagem abaixo que você será redirecionado a loja de aplicativos de seu smartphone!

 

 

Notícias Relacionadas