Santa Casa implanta classificação de riscos para atendimento

21/12/2017

 

Pacientes recebem as pulseiras com as referentes cores da classificação.

 



Foi implantado desde o início de dezembro, o Protocolo de Acolhimento com Classificação de Risco para atendimentos na Santa Casa de Misericórdia de Santa Cruz do Rio Pardo.

A triagem classificatória de risco segue a portaria 2048 do Ministério da Saúde e visa otimizar os atendimentos (convênio e particulares), na porta de entrada do Hospital.

De acordo com uma das enfermeiras responsáveis, Patrícia Martins Yoneda, este acolhimento se mostra como instrumento reorganizador dos processos de trabalho na tentativa de melhorar e consolidar os atendimentos.

A triagem da classificação de riscos é realizada pela equipe de enfermagem, no entanto, o Protocolo envolve a equipe multidisciplinar composta por enfermeiros, auxiliar de enfermagem, serviço social, equipe médica, profissionais da recepção e estagiários.

Após a triagem, os pacientes recebem as pulseiras com as referentes cores da classificação que seguem esta regra: 

vermelho– atendimento médico imediato; amarelo-será atendido com prioridade sobre os pacientes classificados como verde e amarelo, tempo máximo de espera: uma hora; sem risco de morte imediata, será atendido após todos os pacientes classificados como vermelho e amarelo. Tempo máximo de espera: duas horas e azul– será atendido após todos os pacientes classificados como vermelho, amarelo e verde, tempo máximo de espera: quatro horas.

O processo da classificação de riscos acontece da seguinte forma: usuário procura o serviço de urgência; é acolhido pelos funcionários da recepção e encaminhado para confecção de ficha de atendimento; após é encaminhado ao setor de risco, onde é acolhido pelo auxiliar de enfermagem e enfermeiro que, utilizando informações de escuta qualificada e tomada de dados vitais, se baseia no protocolo e classifica o usuário.

É importante ressaltar que nenhum paciente poderá ser dispensado sem ser atendido, ou seja, sem ser acolhido, classificado e encaminhado de forma responsável ao serviço de competência.

“Estamos satisfeitos com os primeiros dias da implantação, é importante ressaltar que não é porque o paciente foi classificado como azul, ele terá de esperar por quatro horas, tudo dependerá das regras do fluxograma em andamento”, explica a enfermeira, Patrícia com a enfermeira, Ana Beatriz Franco Santos.

Também é necessário frisar que em casos de emergência em que o SAMU (Sistema de Atendimento Médico de Urgência) e Cart (Concessionária Auto Raposo Tavares) tem contato direto com o hospital, o encaminhamento do paciente para o atendimento é feito imediatamente.

A classificação de riscos também respeita a lei de preferência para idosos e crianças. No caso das gestantes, as mesmas não passam pelo processo e são encaminhadas para os setor da Maternidade.

Os atendimentos de urgência pelo SUS seguem de responsabilidade da UPA (Unidade de Pronto Atendimento).

 
 

 

Fique sempre por dentro das  Notícias em Santa Cruz atualizadas diariamente através do aplicativo ACHEI SANTA CRUZ , basta clicar na imagem abaixo que você será redirecionado a loja de aplicativos de seu smartphone!

 

Notícias Relacionadas