Policiais de Santa Cruz e região participam de operação contra principal facção criminosa do país

14/06/2018

 

Operação Echelon partiu da descoberta de bilhetes que foram encontrados na rede de esgoto do presídio de Presidente Bernardes-SP.

 

 


A Polícia Civil e o Ministério Público do Estado de São Paulo deflagraram Operação ‘Echelon’, no início da manhã desta quinta-feira, (14), contra as ramificações interestaduais da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). 

De acordo com a polícia, ao todo serão cumpridos 59 mandados de busca e apreensão em 14 Estados, além de 75 mandados de prisão preventiva para integrantes da facção. O objetivo principal da ação é desarticular focos estratégicos da facção que segundo as investigações, mantém contato com bandidos em outros estados, atuando no tráfico de armas e drogas. 

Em São Paulo, o PCC conta com cerca de 11 mil integrantes enquanto no restante do país, o número cresceu seis vezes nos últimos quatro anos, subindo de três mil membros em 2014 para mais de 20 mil em 2018.

Depois de São Paulo, os estados que concentram o maior número de integrantes do PCC são Paraná (2.829), Ceará (2.582) e Minas Gerais (1.432). Este último, sofreu uma série de atentados contra ônibus e ataques contra postos policiais na semana passada. A facção conta ainda com membros em outros cinco países: Bolívia, Colômbia, Guiana, Paraguai e Peru.

De acordo com as investigações, a expansão do PCC culminou na reação de gangues locais, que se aliaram ao Comando Vermelho, iniciando uma guerra que atinge principalmente os estados do Norte e do Nordeste do país.

As investigações tiveram início em junho de 2017, quando o líder máximo da facção, Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, foi mantido isolado pela sexta vez no Regime Disciplinar Diferenciado (RDD) do presídio de Presidente Bernardes (SP).

Agentes da Polícia Civil de Santa Cruz e região participaram da operação na manhã desta quinta-feira na grande São Paulo. Em entrevista ao jornal Giro de Notícias da Rádio 104 FM, o delegado Renato Mardegan explicou a atuação dos policiais na ação.

“A principio iríamos em mais equipes com policiais de Seccional de Ourinhos, que envolve toda a região, porem, houve um corte e apenas uma equipe foi enviada na noite desta quarta-feira, (13), para São Paulo, onde de manhã por volta das 4h, todos se reuniram no Campo de Marte para que se destacasse as ações para as diligências da operação”, contou o delegado.

O trabalho de investigação que originou a Operação Echelon, partiu da descoberta de bilhetes que foram encontrados no esgoto do presídio de Presidente Bernardes, onde permanece detido o principal líder da facção criminosa, o traficante Marcola.

 
Equipe de policiais da região presentes na operação na manhã desta quinta-feira, em São Paulo

“Os agentes de Santa Cruz foram destacados para o trabalho na Zona Sul de São Paulo, em alguns locais extremamente perigosos, com muitas dificuldades de infraestrutura, como esgoto a céu aberto, inclusive. A principio, nossa equipe, formada por três delegados e 12 investigadores seria enviada para Minas Gerais mas com as alterações fomos destacados para São Paulo, onde os agentes fizeram um excelente trabalho”, enfatizou Mardegan.

A equipe de policiais da região foi comandada pelo Delegado titular da Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes de Ourinhos (DISE), Fernando da Silva Freitas, e contou com o trabalho de agentes de Bernardino de Campos, Santa Cruz do Rio Pardo, além de policiais da capital paulista.

 

Veja vídeo abaixo:

 
 
 

 

Fique sempre por dentro das  Notícias em Santa Cruz atualizadas diariamente através do aplicativo ACHEI SANTA CRUZ , basta clicar na imagem abaixo que você será redirecionado a loja de aplicativos de seu smartphone!

 

 

Notícias Relacionadas