Filha mata a mãe com injeção de ar após ver cena de novela da Globo

11/10/2018

 

Jovem seguiu os passos da cena, inclusive o crime foi cometido no mesmo dia da exibição do capítulo.

 



Em Petrópolis, interior do Rio de janeiro, Paloma Botelho Vasconcelos, de 21 anos, chocou o Brasil ao matar a sua mãe, Dircilene Botelho, inspirada em uma cena da novela Segundo Sol, exibida no dia 2 deste mês, onde Laureta (Adriana Esteves) mata a Galdino (Narcival Rubens), seu capanga, com uma injeção de ar.

Paloma seguiu os passos da cena, inclusive o crime foi cometido no mesmo dia da exibição do capítulo. Segundo a polícia, a jovem injetou ar com uma seringa no pulso da mãe. A empresária foi enterrada no dia 3 com atestado de óbito de morte natural, mas como não há plano perfeito, o padrasto de Paloma descobriu tudo.

Manuel da Silva, de 68 anos, vinha desconfiando de estar sendo roubado e instalou câmeras dentro de casa. Na quinta-feira (5), ao rever as imagens, descobriu que a esposa foi torturada e em seguida assassinada. O crime teve a ajuda de Gabriel Neves, 26 anos, o namorado de Paloma.

Seu Manuel foi denunciar o crime, mas os PMs não puderam prender a garota e seu namorado, pois a legislação eleitoral proíbe que “Antes das eleições só é possível deter alguém em flagrante”, contou o advogado André Lozano.

“Eles aplicaram um pano com formol no nariz da vítima. Depois a ‘colocaram no saco’, como no filme Tropa de Elite [2007], amarrando com uma fita na cabeça”, contou ao Notícias da TV o inspetor da Polícia Civil Alexandre Gheren, 44.

“A Paloma admitiu no depoimento que, como a mãe ainda se mexia depois da asfixia, [e por isso] usou a injeção da Laureta para matá-la”, contou.

Segundo Gheren, ela procurou seguir ao máximo o roteiro da cena, buscando uma veia no pé para injetar o ar, mas como não achou, aplicou no pulso.

“A Paloma era depressiva, e todos falam aqui na região que tomava remédios”, contou Leonardo Bertoz, chef de cozinha do restaurante Luka’s, que localiza-se ao lado da casa da vítima. O inspetor Gheren confirmou o uso de medicamentos.

A polícia de Petrópolis (RJ) divulgou, nesta quinta-feira (11), as imagens de uma câmera que mostram o momento em que a filha mata a própria mãe com uma injeção de ar. 

 
 
Carta
 

A polícia ainda encontrou uma carta no quarto de Paloma, que dizia: “Você podia ter abortado, mas preferiu ter me criado com falta de seu amor materno. Você não sabe a falta que me faz”.

Segundo a advogada do viúvo, o crime foi cometido porque ela queria a herança da mãe. 

“Não seria justo com a família que a autora do crime ficasse com os bens da vítima. Posteriormente, meu cliente vai abrir mão de toda herança em favor dos pais da vítima. O interesse dele não é algum pelos bens”, disse Vivian Andrade em entrevista à InterTV.

Veja vídeo:
 
 
 
Conteúdo: TV FOCO
 
 

 

Fique sempre por dentro das  Notícias em Santa Cruz atualizadas diariamente através do aplicativo ACHEI SANTA CRUZ , basta clicar na imagem abaixo que você será redirecionado a loja de aplicativos de seu smartphone!

 

 

Notícias Relacionadas