Epidemia faz maternidade adotar ‘carteirinha da gestante com dengue’

14/02/2019

 

Com mais de 1,5 mil casos confirmados, cidade segue protocolo de atendimento a mulheres com suspeita da doença. Se contaminação acontecer no último trimestre da gestação, chance é grande de o bebê nascer com a doença.

 

 

A epidemia de dengue vivida em Bauru (SP) obrigou uma maternidade pública da cidade a adotar uma espécie de “carteirinha da gestante com dengue”. A medida, na verdade, representa um protocolo de atendimento específico para as grávidas com sintomas da doença e é uma iniciativa do governo do Estado distribuída pela vigilância municipal.

Com mais de 1,5 mil casos da doença já confirmados apenas neste ano, e ainda com a suspeita que o número de pessoas infectadas possa ser muito maior que isso, chegando a quase 15 mil pessoas, os bauruenses vivem um momento de medo.

Três pessoas já morreram com suspeita da doença – os casos aguardam confirmação oficial através de exames – e todas eram idosas e faziam parte do grupo de risco, que inclui também crianças, pessoas com doenças crônicas e mulheres grávidas.

A situação em Bauru gera preocupação especialmente para as gestantes. Afinal, dependendo do momento da gestação em que ocorrer a contaminação, a mãe infectada pode transmitir a dengue para o filho.

“A infecção pelo vírus da dengue no primeiro e segundo trimestres vai levar a gestante aos sintomas e riscos clássicos. Mas quando ela adquire a dengue no último trimestre, aí sim temos algumas peculiaridades e uma chance maior, inclusive, de o bebê já nascer com dengue”, explica o infectologista Gustavo Hideki Kawasami.

Por isso, a Maternidade Santa Isabel adotou um atendimento específico para as gestantes com sintomas da doença. A partir de agora, elas recebem uma carteirinha especial na qual os médicos anotam todas as informações sobre o tratamento.

Na carteirinha, os médicos também colocam os resultados de exames e as complicações que a mulher pode ter durante o parto. O objetivo é que todas as equipes de plantão fiquem por dentro do diagnóstico.

A carteirinha de gestante com dengue também informa os sintomas que servem de alerta. Isso porque a doença atinge o organismo de formas diferentes, dependendo do tempo de gestação.

Na Maternidade Santa Isabel, 31 gestantes com suspeitas de dengue passaram por atendimento este ano e dez delas tiveram a confirmação da doença.

 
 
 
Conteúdo: G1
 

 

Fique sempre por dentro das  Notícias em Santa Cruz atualizadas diariamente através do aplicativo ACHEI SANTA CRUZ , basta clicar na imagem abaixo que você será redirecionado a loja de aplicativos de seu smartphone!

 

 

Notícias Relacionadas