Edvaldo exige posicionamento da Câmara e rebate declarações de Otacílio; “Aqui tem homens.”

06/03/2018

 

Vereador criticou fala do prefeito pediu maior atenção do Legislativo com as denúncias de perseguição que o funcionário da Codesan, Osmar Pinheiro, estaria sofrendo por parte da administração municipal.

 



Por André Rubio


Eleito pela base governista do atual prefeito, o vereador Edvaldo Godoy (DEM) foi o único a se posicionar publicamente contra as declarações do prefeito de Santa Cruz do Rio Pardo, Otacílio Assis (PSB) nas últimas semanas, na sessão ordinária desta segunda-feira, 05.

Edvaldo pediu a palavra no final da sessão para criticar a fala do prefeito e ainda pedir uma maior atenção por parte da Casa para com as denúncias de perseguição que o funcionário da Codesan, Osmar Pinheiro, estaria sofrendo por parte da administração municipal.

“Ficamos sabendo que o funcionário da Codesan [Osmar Pinheiro] estaria sofrendo perseguição pessoal e assédio moral dentro da empresa. Tudo acontecendo logo após este funcionário ter feito uma denúncia contra a direção da empresa, de repente a vida dele começou a desmoronar”, apontou Edvaldo.

O vereador se refere a posições tomadas recentemente pelo governo municipal e que atingem diretamente Osmar e sua família, logo após o servidor ter procurado a imprensa para denunciar que valores de parcelas de emprestimo consignado feitos por ele estariam sendo retirados de seu pagamento mas não estavam sendo repassados a Caixa, o que fez com que seu nome fosse incluído na lista do Serasa.

Logo após a exposição da denúncia, e prefeitura solicitou que o funcionário deixasse sua residencia dentro da Escola Arnaldo Moraes Ribeiro, onde há 17 anos, trabalha como zelador, com a justificativa de que um CRAS estaria para ser instalado no prédio que pertence ao município.

Já no último final de semana a secretaria de Educação solicitou que a cantina que funciona também na escola Arnaldo fosse desativada, por conta de ‘reclamações de pais de alunos que não podem comprar os salgados e lanches que são vendidos no local’.

A medida atingiu mais uma vez em cheio a família de Osmar Pinheiro, uma vez que a esposa do funcionário arrenda a cantina há nove anos. O dinheiro do aluguel é inclusive utilizado pela APM (Associação de Pais e Mestres) da escola para melhorias no prédio.

O próprio secretário municipal de Educação, Fernando Bintencourtt, em entrevista à Rádio Difusora no último sábado, 03, assumiu a responsabilidade pelo fechamento da cantina, rechaçando qualquer tipo de insinuação sobre o ato se tratar e perseguição política.

Também na sessão desta segunda-feira, Edvaldo foi duro contra  palavras do prefeito, que disse durante a última semana que “Vereador pode morrer um hoje, que amanhã entra outro no lugar e não muda nada”, ao tentar explicar a diferença entre os cargos do executivo e legislativo dentro da administração, e defender a permanecia do atual presidente da Codesan, Claudio Agenor Gimenez à frente da empresa.

O funcionário Osmar Pinheiro, pivô de mais um capitulo da crise política entre Legislativo e Executivo em Santa Cruz

 

“Se acontecer também de ele [prefeito] faltar, o vice que ele escolheu também pode substituí-lo, seguindo essa linha de raciocínio dele”, disse Edvaldo.

O vereador cobrou dos colegas um posicionamento quanto a fala do prefeito; “Nós não podemos admitir isso. Nós precisamos tomar uma atitude, temos que mostrar pra população que não somos uma casa de ‘Zé Ninguém’. Aqui tem homens”, disse em tom de inconformismo.

No final, Professor Edvaldo citou uma frase dizendo que ‘os cemitérios do mundo estão cheios de gente que se consideravam insubstituíveis’.

Confira no vídeo abaixo a fala completa do vereador Edvaldo Godoy durante a sessão desta segunda-feira,05.

 

 

Fique sempre por dentro das  Notícias em Santa Cruz atualizadas diariamente através do aplicativo ACHEI SANTA CRUZ , basta clicar na imagem abaixo que você será redirecionado a loja de aplicativos de seu smartphone!

 

 

Notícias Relacionadas