Cidade da região registra 43,5ºC, a maior temperatura da história no estado de SP

08/10/2020

 

Termômetros marcaram 43,5ºC às 15h nesta quarta-feira, 7, segundo medições do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

 

 


O estado de São Paulo registrou a maior temperatura dos últimos 87 anos, nesta quarta-feira, 7, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). O recorde histórico foi marcado em Lins, cidade do interior paulista (distante 180 quilômetros de Santa Cruz do Rio Pardo)0, com 43,5ºC.

De acordo com o Instituto, até então a maior temperatura havia sido registrada em Iguape, no dia 3 de fevereiro de 1933.


Veja, abaixo, as máximas históricas:

43,5°C de Lins em 07/10/2020

43,0°C de Iguape em 03/02/1933

42,9°C de Barretos em 07/10/2020

42,8°C de Registro em 02/10/2020

42,6°C de Ibitinga em 07/10/2020

42,4°C de Dracena em 06/10/2020

42,2°C de Catanduva em 05/10/2020

42,1°C de Iguape em 16/01/1956, Catanduva e Votuporanga em 03/10/2020

42,0°C de Jales em 07/10/2020

41,9°C de Lins em 30/09/2020 e 06/10/2020 e Dracena em 03/10/2020


Conforme o Inmet, Lins registrou a alta temperatura às 15h. Até esta quarta, a maior temperatura na cidade tinha sido registrada no dia 30 de setembro deste ano, sendo 41,9ºC.

Na cidade de São Paulo, três dos cinco dias mais quentes para um mês de outubro foram registrados em 2020. A máxima já registrada foi 37,8ºC, em outubro de 2014.

 

Mais de 40ºC

A cidade de Bauru, que fica na região de Lins, também ultrapassou a marca de 41ºC nesta quarta, atingindo novamente o recorde de maior temperatura no município em pelo menos 19 anos.

Segundo o Instituto de Pesquisas Meteorológicas (IPMet), da Universidade Estadual Paulista (Unesp) local, os termômetros marcaram 41,2ºC às 13h20.

A sequência de recordes teve início no final do mês de setembro, quando Bauru registrou 39,9ºC no dia 30. De acordo com dados do IPMet, essa já seria a temperatura mais alta no município desde 2001, ano em que o instituto começou a registrar o indicador.

Por causa do calor, o Inmet emitiu um alerta para o perigo de morte por hipertermia em partes do Centro-Oeste e do Sudeste.

 

Receba nossas notícias diretamente em seu WhatsApp. Clique aqui e se cadastre!

 

A hipertermia é a condição caracterizada pela elevação da temperatura corporal quando o organismo produz (febre) ou absorve mais calor do que consegue dissipar.

O meteorologista do Inmet Olivio Bahia explicou que no Brasil não é comum ver morte associada a onda de calor. “No Brasil não é comum, mas sabemos que o corpo humano sente. Essas mortes provocadas pelas ondas de calor são mais frequentes na Europa”, diz.

Bahia explica que o aviso é emitido quando as temperaturas registradas superam em cinco graus a temperatura média em determinada área. “De dois a três dias, o alerta é amarelo. O laranja é quando a condição de temperatura acima da média varia de três a cinco dias. Acima de cinco dias, como agora, o alerta passa a ser vermelho.”

 

Previsão para os próximos dias

O índice de umidade relativa do ar no Brasil pode cair para 15% até esta quinta-feira, 8. O indicador só volta a subir na sexta-feira, 9, com a chegada de uma nova frente fria que vai trazer o refresco nas temperaturas.

Veja video abaixo:
 
 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Achei Santa Cruz (@acheisantacruzapp) em

 
 
 
Conteúdo: G1

 

Fique sempre por dentro das  Notícias em Santa Cruz atualizadas diariamente através do aplicativo ACHEI SANTA CRUZ , basta clicar na imagem abaixo que você será redirecionado a loja de aplicativos de seu smartphone!

 

 

Notícias Relacionadas
Publicidade